quinta-feira, 7 de março de 2013





JOCÉLIA FONSECA








HUMANIDADE NO FEMININO


É na mulher
Que a humanidade se acolhe
Antes de vir ao mundo,
E se alimenta
Do seu seio
Que derrama o néctar da vida
Suprime-se da necessidade
De seu amor
E para a mulher retornamos
Quando sabemos
que seu colo é conforto
para ninar momentos de cansaços
nas lutas cotidianas

















POESIA MULHER



A poesia se faz presente!
E em mulher
Desnuda-se em graça e louvor
Ao longo de sua vida
Dando-se a vida.

A poesia anuncia
Denunciando
Seu desejo de amor
Entre os seus...
Mais belos pensamentos,
De luta de coração!


















INSUBMISSA


Não me cale na boca
A palavra ainda não dita
Quando dos meus sentidos
Flameja o ar sutil
Coagido do teu olhar ditadura

Não me abafa na garganta
O sentido do grito
Que quer desabrochar
De um corpo ensanguentado
Das correntes
E concreto
Que paralisam meu corpo
Não me sugue o amor à vida
Pois quero sempre um ar vital
Pra prosseguir
Meu caminho
















MAL-CRIADA


Atender aos próprios instintos
Ser de si mesma
Ouvir a melodia da própria canção
não me modelar segundo seus moldes
Meu corpo tem a dança da vida

estou me dissipando das correntes
e deixando que as correntezas sejam a dialética

















AMÁ-LA


Quando a vida está uma mala sem alça
No corredor do vizinho
Cheio de roupas de inverno
Em pleno clima quente de verão...
Quando o desespero
Engole a vontade do viver calmo
E se vive em uma corda bamba
Sobre angústias...

Melhor ser firme
Melhor ser forte
Melhor ser mulher

Melhor ter futuros presentes
Melhor ter futuros próximos
e acordar para um sonho real
e fluir com os passos
passo a passo

dilacerar todo mal
e saber que todo crime que se comete
é contra si mesma
essa falta de amor próprio

melhor deletar as paixões
espinhentas e mentirosas
e deixar sobreviver
o hálito bom e tranquilo do amor
mergulhar na fonte que lava a alma
ignorar os passados sombrios
e ser flor desabrochando
para um novo amanhecer
novo sempre!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário